Páginas

Marcadores

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Armário

Sufocado.
No escuro.
Sem perspectivas;
Sem vida.
Assim é o armário.
Uma junção de conceitos,
Preceitos e medos.
Sofrimento!
Uma dor tão profunda
Que tende a latejar a
Todo instante.
Ignoramos...
Mas ela insiste.
Cada célula do seu corpo
Pede por liberdade.
E cada vez que nos enganamos
Enfiamo-nos mais pra dentro dele.
Ele nos dá a ilusão de conforto.
Uma rarefeita estabilidade.
Dia e noite escondemo-nos;
Como se ocultar não fosse
Mentir indiretamente.
Temos medo!
E sofremos por antecipação.
O medo da não aceitação.
Um dia chegamos ao basta.
Saltamos!
E de fora do armário podemos respirar.
Um alívio mais que profundo,
Um novo mundo.
Sonhamos acordados.
Uma catarse.
É estranho, porque pela
Primeira vez, não há
O que se ocultar.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

O Autor

Sempre foi sobre mim.
Eu sempre estava lá;
Não há como negar, agora.
E por anos não se viu
O que estava na cara.
A verdade se encobriu
Aos desatentos...
Falar sobre banalidades,
Nunca houve tantas verdades.
Sobre o autor;
Ele falou de amor.
Não que precise sentir,
Mas olhar, pensar e refletir.
Saber é mais que viver;
E não precisa sofrer,
Por entender os processos da vida.
Não há partida.
Que seja fixa;
A vida.
Porque de segredos já deu.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Digitígrados

Já pode reclamar do ano que vem
ou tem que esperar começar.
Há tanto a se reclamar?
O mundo não é só miséria e fome,
Também há luz.
E reclama-se do tempo:
Quando está sol, por ser quente.
Quando está nublado, por ser frio.
Reclama-se da fome,
Da miséria no mundo
E até dos peixes...
Seres "inreclamaveis".
A gula é por falar;
Julgar está no cerne.
Afinal,
Seres digitígrados racionais só
fazem pensar mesmo.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Cramunhão

E dizem que a vida é complicada.
Mal sabem o que deveras complicado é.
Há tempos se viu a lepra, peste negra e até a tal de AIDS.
A tempo se viu a cura, para a falta de empatia.
E não conjures o cramunhão.
Nada vale mais do que um sorriso.
Dizem ser bonito, o amor!
Só quem sente diz a cor, o sabor, o frescor.
Aquela flor ei de cheirar.
Não permitirei que me fures, Antes posso te rasgar.
Olha, vou falar pra você: a vida de complicada não tem nada.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Herdeiros

É fascinante...
Ter sentimentos por alguém.
Preocupar se com mais ninguém.
Olhar no espelho e ver além,
Ver o outro.
Não é passageiro.
Não há herdeiros.
O amor cria,
Ele gera sensações,
Emoções.
Eu amo!
E tive a sorte de ser recíproco.
Não se trata só de dois se encontrarem,
Mas das almas se alinharem em perfeita sintonia;
Falarem a mesma língua.
Com o tempo não se vê mais dois,
Mas um... Numa perfeita união.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Monturo de Morte

Das catacumbas devassas
Ao reduto dos impuros.
As margens do rio afloram
As couves flor do ardor
Da desilusão e frustração.
Têm raízes que afloram.
Sementes que germinam.
Eles...
Sepulturas que ecoam
Uma bad doutro mundo.
Corpos esfalecidos num
"Monturo" de morte.
Almas vívidas;
Mentes sujas.
Num dia assombroso de trevas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Preto

Sai preto, sai...
Você não pode ser um igual.
Sai preto; dessa vida de crer.
Do céu só caem as lágrimas dos deuses.
Preto, corra.
Preto, seja você mesmo.
Vai preto!
Por que fostes tão simplório.
Preto que não acredita em preconceito...
Preto que não aceita...
Chora preto,
Ao ver seu orgulho ser pisoteado.
Vai preto,
Ensine ao mundo que preto,
Negro, ou zulu;
Você tem alma,
Um coração pujante e como todos,
Também ama!