Páginas

Marcadores

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Fantasma

Um fantasma me visitou.
Nunca que faria isso a luz do dia.
Estava-se dormindo quando
Ouviu-se um barulho.
Não é nada pensou-se.
E o barulho insistiu.
Foi-se então em sua direção.
Não!
- Que diabos é isso!
Exclamou-se.
- Sou o seu pior pesadelo,
Sou aquele que você esconde,
Aquele que você reluta em aceitar...
Eu sou a sua sexualidade.
- Que queres de mim?
- De você, eu só quero a verdade.
Que você não tema sua natureza e
Aceite as suas belezas.
- Como faço isso?
Perguntou-se.
Nada mais estava ali e
Como num susto acorda-se.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Cafeteria

Dia desses eu vi um rapaz numa cafeteria.
Ele estava sem um celular,
Sem um Notebook,
Sem um tablet...
Ele estava ali,
Só tomando café,
Parado;
Como um psicopata.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Bino

Que nada.
Amar não é tão limitador.
Ao encontrar a pessoa certa
Você tem a certeza de amor.
Dirão: corre Bino, é uma cilada.
Mas só quem vive sabe.
Das dores e dos amores.
Do bom e do ruim.
Não se deixe levar por opiniões.
Faça você a sua verdade.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Danilo

Casamento é coisa séria. 
Casamento não é só dormir de conchinha e ficar abraçadinho vendo filme... 
Casamento é ter paciência com as idiossincrasias do outro, é estar cansado depois de um dia de trabalho e fazer aquele favorzinho pra aquele que você ama, é evitar uma discussão boba antes que vire briga porque você sabe que não vale a pena; 
casamento é saber ceder, 
ter sempre uma âncora a se fixar e a certeza de 
que só há uma pessoa a se amar...

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Opressão

No fim, serei eu mesmo.
Sem medos!
Olharei para outrora com desprezo.
Posicionarei-me!
Direi coisas sem sentido.
Gritarei o mais alto que puder.
Incomodarei outros sem me importar.
Serei egoísta sem pensar.
Terei o brilho da dignidade.
Sou um cara sem maldade.
Você me odiaria.
Você não me aceitaria.
Por ser quem sou...
E dói pensar que o amor não é suficiente.
Frustra perceber que somos diferentes.
Não por rejeição, mas pelo coração.
Sou desprezível.
Tenho fugido...
Todos nós temos o direito de nos divertir;
Sermos quem somos
Sem nos restringir.
Que o julgamento alheio não nos corte.
Superemos a morte;
De princípios.
Sejamos mais que seres vivos
Aspirantes a dignos.
No fim, serei quem sempre fui...
Aquele que não apareceu por opressão.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Armário

Sufocado.
No escuro.
Sem perspectivas;
Sem vida.
Assim é o armário.
Uma junção de conceitos,
Preceitos e medos.
Sofrimento!
Uma dor tão profunda
Que tende a latejar a
Todo instante.
Ignoramos...
Mas ela insiste.
Cada célula do seu corpo
Pede por liberdade.
E cada vez que nos enganamos
Enfiamo-nos mais pra dentro dele.
Ele nos dá a ilusão de conforto.
Uma rarefeita estabilidade.
Dia e noite escondemo-nos;
Como se ocultar não fosse
Mentir indiretamente.
Temos medo!
E sofremos por antecipação.
O medo da não aceitação.
Um dia chegamos ao basta.
Saltamos!
E de fora do armário podemos respirar.
Um alívio mais que profundo,
Um novo mundo.
Sonhamos acordados.
Uma catarse.
É estranho, porque pela
Primeira vez, não há
O que se ocultar.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

O Autor

Sempre foi sobre mim.
Eu sempre estava lá;
Não há como negar, agora.
E por anos não se viu
O que estava na cara.
A verdade se encobriu
Aos desatentos...
Falar sobre banalidades,
Nunca houve tantas verdades.
Sobre o autor;
Ele falou de amor.
Não que precise sentir,
Mas olhar, pensar e refletir.
Saber é mais que viver;
E não precisa sofrer,
Por entender os processos da vida.
Não há partida.
Que seja fixa;
A vida.
Porque de segredos já deu.