Páginas

Marcadores

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Novelas, Por que Não?

Que  ser humano, que vive no Brasil, nunca assistiu a uma novela na TV? Em um país como o nosso, onde a cultura se baseia em novelas, isso é praticamente impossível isso acontecer. Porém, e mesmo com toda essa popularidade, existe um preconceito com as pessoas que assistem as novelas, são vistas como ignorantes ou leigos; ainda são tidas como pessoas desocupadas.

A novela existe desde antes da televisão nas antigas "radionovelas", para que uma novela seja exibida é necessário que muitas pessoas trabalhem duro, criem, revisem e executem; são investidos milhões de reais, o resultado para tanto é o que vemos na TV. Se você parar um minutinho se quer para assistir, esse minuto vai se transformando em dois, três... e quando se dar conta já estará envolvido na trama e lendo as capas das revistas especializadas. Isso mostra a qualidade das novelas do Brasil, que inclusive são detentoras de alguns prêmios “Emmy”.

Algo que envolve tantas pessoas e que faz tanto sucesso, até internacional, não pode ser tão ruim assim, tantas pessoas não podem estar erradas, como no caso do Nazismo. Esse preconceito está relacionado ao fato das pessoas serem um espelho dos bordões da classe pobre das novelas, prestar atenção apenas no que “não presta”, ignorando completamente a parte cultural da novela, os ricos ensinam como se portar ou qualquer outro conhecimento que a novela pode acrescentar.

Em âmbito geral a televisão tem fundamental importância na nossa sociedade, sem ela a vida cultural se amofina, a diversidade das ideias se apequena, o horizonte existencial na nação se estreita. Qualidades não faltam para a televisão, assim como para as novelas, que por mais consolidadas que sejam -e são- vão ser sempre alvo de preconceito, porém suas qualidades vão sempre se sobre-sair e os telespectadores vão sempre estar presos na frente da TV. 

O grande desafio dos autores é trazer o “povão” para a cultura e passar informação para a classe leiga, sem que eles percebam, alguns escritores obtêm exito nesta função como Gloria Perez, que faz um trabalho maravilhoso em suas novelas, sempre realizadas em um país diferente com o intuito de mostrar a cultura e costumes do locais.

2 comentários:

andreia disse...

Caro Henrique, uma informaçãozinha valiosa: na realidade as novelas são mais antigas que a própria tv, tendo sido apresentadas em programas de rádio. Com a inserssão da tv no Brasil, viu se a oportuinidade de torná-las mais "vivas" através desse novo canal.
A respeito das novelas, o que ocorre é que não há mais boas tramas na tv. Os clichês já encheram o saco e a paciência dos antigos expectadores, que migraram para outros programas (como os seriados) ou meios (como a internet).
Eu particularmente não gosto da Glória Perez, acho que ela não consegue manter um casal até o fim da trama e passa uma imagem muito abrasileirada das outras culturas, mas pelo menos ela tenta explorar outros universos, além do Leblon, como é caso do Manuel Carlos, que com suas Helenas, não consegue sair da família rica e alegre cujo um dos membro sofre um problema de saúde que desestabiliza toda a família.
Em anos de novelas, a minha preferida continua sendo Da Cor do Pecado, que mostrava de uma forma leve (sem apelar para o sexo das novelas das oito) o amor de dois jovens de raças e classes sociais diferentes. Todo o preconceito sofrido pela protagonista para provar que seu filho, apesar de negro, era legítimo herdeiro de um homem preconceituoso e ranzinza e a história cor de rosa de dois irmãos gêmeos separados no parto.
É, realmente, falta trama na tv brasileira!!

Henrique Abrantes disse...

Comentário muito produtivo e me lembrou das rádios novelas. Eu havia me esquecido completamente, afinal não é da minha época, mas eu deveria ter lembrado... enfim. Obrigado!