Páginas

Marcadores

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Monólogo – CU

Aqui estou eu, em frente a um espelho, em uma posição nada agradável... Observando a parte mais oculta do corpo humano, também a parte que mais sofre preconceito. A começar pela sua definição, seus vizinhos mais próximos -Pinto e Vagina- são órgãos genitais, ele não; Suas formas não são das melhores, há quem diga que ele parece um maracujá apertado, cercado de fios de cabelos que se sujam quando as tropas descem das tripas, sovado de tanta bosta, está ai o cheiro de cu -que tanto ouço falar- suas flatulências são um alarme, que muitas vezes não funciona. Como ia dizendo, ele sofre muito preconceito e sua função é quase sempre desmerecida, até que se precise dele.

Dia desses eu estava no trono e comecei a filosofar sobre o cu. Afinal, cu é o nome do buraco da agulha -me pergunto qual a relação- a sigla de Cuba é cu o mesmo cu que serve de símbolo do elemento químico para o cobre. Na Espanha cu é o nome da letra Q. No mundo virtual dos EUA cu significa "até logo". Depois de rodar o mundo e penetrar na importância cultural do cu, fico abismado em ver que sua forma escrita ainda não é de conhecimento geral.

Para muitos se escreve “CÚ”, mas o cu não tem acento, apenas as monossílabas tônicas terminadas em A, O e E são acentuadas. E nos encontros vocálicos I e U meras semi-vogais. Passada a sua forma escrita, continuemos com o colóquio.

O cu é a primeira parte do corpo dos animais vertebrados a ficar pronta, sua complexidade e personalidade é forte, suas travas são fundamentais, apesar de muitos não darem importância alguma a isso e o usarem como porta de entrada, não apenas como de saída. (Não há nenhuma relação, diga-se de passagem)

Seu esfíncter externo e interno o formam, o cu...
  • Menino! O que você está fazendo nessa posição?
Gritou minha mãe ao entrar no meu quarto e dar vida há uma das situações mais constrangedoras da minha existência. Pelo menos eu acho que desta vez eu tranquei a porta, ou não?
  • Menino o que você está fazendo nessa posição... de novo?
Dorga!!!”

Um comentário:

residuo disse...

Cu é vítima de preconceito e é saída do maior aperto. Cu sofre de injustiça, mais do que de hemorróida. Cu merece respeito. Rainha tem cu, presidente tem cu, deputado tem cu, e cada um usa como quer e quando quer.