Páginas

Marcadores

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Brasil, Que Vergonha!

O mundo pede uma revolução, quantos mais precisarão morrer para pagar dívidas que não são suas. Quantos mais precisarão viver aterrorizados em sair às ruas? São escoltados por um ou dois soldados que não da a proteção de que precisam. Juízes, delegados e promotores, suas obrigações são dispensáveis, todos deveriam abdicar a suas funções, eles travam uma luta diária em uma guerra que nunca terá fim, prendem de manhã para de tarde a lei soltar, condenam à prisão para a “Justiça” os libertar. Essa é a ordem e progresso? Parece que isso só existe em nossa bandeira, como um sonho distante de ser atingido. O perigo constante que esses profissionais são submetidos, sem falar nos familiares e a preocupação de todos que estão neste meio, é evidenciado pelas armas que são obrigados a portar, necessárias apenas para que consigam dormir.

O que está havendo com a “Civilização”? Se o problema, a causa, de tanta violência encontra-se nas drogas, por que não exterminá-las. Sim. É possível, mas só o que vemos é demagogia em propagandas obrigatórias para simular algum interesse do governo no bem estar de seus escravos. Presidentes se escondem atrás dos seus gabinetes, protegidos por seus assessores, são quase intocáveis, com o lobby eclodindo por suas veias movem montanhas em prol de ganhos pessoais e iludindo grandes massas que acreditam em sua honestidade, simplórios ou apenas crentes no amor.

O que é preciso para que não sejamos inertes aos estupros que a terra vem sofrendo? O que deve ser feito para estancar essas hemorragias tão latentes que jorram sangue e mancham a todos que estão ao redor. Permanecer puro em meio a tanta impureza e putrefações torna-se impossível, mas a busca pela pureza ou pela redenção nos aproxima do ideal que deveria ser seguido por todos, ideal esse que presa o homem como ser, o trata com respeito, cuidado e principalmente o preserva. Esses valores são confundidos pelas formas midiáticas tão formadoras de opinião que se sobressaem no dia a dia, jornais não são mais confiáveis, TV só serve para distração, rádio não passa de um zumbido estridente no ouvido e as revistas mal servem para limpar a bunda.

O mundo está vivendo um grande caos e se não podemos garantir a segurança daqueles que nos mantem seguros é porque nossa incapacidade de colocar as coisas nos eixos atingiu seu ápice. Diante de tamanho desafio que é a segurança, só nos resta ter fé, porque se depender do bom senso dos atuais protagonistas do país, muitos mais vão morrer em vão e suas mortes se quer serão manchetes nos jornais que se dizem de confiança.

Obs. Este texto me veio em decorrência do assassinato de uma juíza aqui no brasil, além disso estava vendo uma série americana de uma delegada e no episódio sua segurança estava em risco. Todos os parágrafos começam com a letra “O” isso em analogia a palavra Ônus que implica em peso, é a carga que esses profissionais são obrigados a carregar.

2 comentários:

Tvnoibope disse...

Concordo plenamente com a ideia central do texto. Parabéns, Henrique!

Andreia disse...

Caro Henrique, uma pequena observação: revoluções são 10% de idealistas e 90% de baderneiros. Just saying...