Páginas

Marcadores

quarta-feira, 21 de março de 2012

Memórias

Todos nós buscamos o nosso lugar ao sol, são tantos que eu não consigo deixar de pensar: Serei eu só mais um, mais um a tentar e não conseguir, serei eu só mais um na multidão? Não! Definitivamente não, seguirei o rebanho até onde ele me trouxer frutos. Nessa caminhada eu sei que vou cair, mas como poucos não vou me abalar. Observando ao redor, vejo muitas faces que se assemelham em meio a mentes que se diferenciam.

Como você entrou aqui hoje? Como você sairá daqui hoje? Não importa o que fomos, mas o que vamos ser. Não somos como éramos e por isso estamos aqui, aquele menino imaturo não existe mais, abram as portas para um homem que assume suas responsabilidades e age de acordo com a ética. Nos transformamos e nem sempre para melhor; pensar em tantas coisas assim me faz lamentar... Por que tantos não tem a mesma sorte, sorte de estar aqui hoje, de poder ter amigos -como eu tenho- de poder conhecer pessoas incríveis e ser ensinado pelos melhores do país, por quê?

Talvez não fosse a hora, imaginar um mundo perfeito é imaginar um mundo caótico. Nos aprofundamos cada vez mais em nossos sonhos em busca de conforto, esperança e alegria; muitas vezes até nos perdemos dentro de nós mesmos nessas imersões e introspecções.

"Sair da zona de conforto nunca é fácil, mas necessário. Nos indagar sobre nós mesmos é prestar atenção no ser humano é se importar com o mundo e sobretudo é querer mudar." HAS

Quantos já caíram, quantos ainda cairão, muitos afirmo e com certeza. Alguns não se levantarão, mais porque se esquecerão que cair faz parte e que a cada queda você evolui e aprende, uma pessoa de sucesso não é uma pessoa que não tem problemas, mas uma pessoa que enfrenta seus medos, porque evoluir é se transformar e naquilo que nem sabemos ao certo, buscamos um ideal utópico e ainda assim não perdemos a esperança.

Quando entramos aqui estávamos norteados por perguntas e agora ao final do curso podemos dizer que as perguntas não só se multiplicaram, como fazem parte de nós. Como alguém deve ter dito “Uma pergunta, às vezes, responde mais que uma resposta”. E diante de tamanha reflexão a fim de nos transportar por esses dois anos juntos, posso dizer que me sinto parte de vocês e que fragmentos de mim estão espalhados em suas mentes, ao longo da vida vocês verão que eu, assim como todos, continuaremos presentes, ainda que distantes e a cada pulsar suas veias saltarão mostrando que ainda estou vivo e que, aqui, um coração chora de saudade.

Obs. Este texto surgiu como uma ideia mal sucedida, na verdade quando o escrevi pensei em fazer um "resumão" sobre os dois anos de faculdade, como estou no último semestre seria uma certa conclusão do curso em um texto. Como toda tentativa gera um resultado este foi o resultado, eu nunca termino um texto, sempre tento, e estou chegando a 200 tentativas de fazer -o que pra mim- um texto perfeito.

Nenhum comentário: