Páginas

Marcadores

domingo, 20 de maio de 2012

Famintos

Quando a barriga doí de fome,
a racionalidade escorre pelos
fios da liberdade.

Nossas escolhas, quase sempre, quando
tomadas no calor dos sentimentos,
nos corrói por dentro.

Muitos passam, poucos se fixam.
Como saber quem é importante.
Não sabemos, e a dúvida nos dá a
certeza de que precisamos; todos
são importantes.

Quando a barriga doí de fome
uma alma implora por atenção.
E o pensamento torna-se
manipulável.

Nenhum comentário: