Páginas

Marcadores

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Burrice “Anencéfala”

Fico pensando até onde vão esses discursos dos “antiaborto”, ao meu ver o limite é o nascimento; porque logo após nascer essa vida não tem a menor importância: Se vai para o o mundo das drogas, para o mundo da criminalidade ou simplesmente vai ter uma vida miserável e morrer de fome, para eles isso é irrelevante. A única preocupação desses hipócritas religiosos é referente ao não aborto, como se a vida tivesse algum valor. Se eu morrer agora, que impacto isso vai trazer ao meio ambiente? Para o universo em geral? O mundo vai acabar se eu morrer? NÃO!

Eles são motivados por uma religião que prega um Deus injusto e sádico, como se a dor fosse seu alimento e isso me lembra alguém (Madre Tereza de Calcutá). No livro que a maioria segue, mas que poucos se dão ao trabalho de ler, devo salientar. Está escrito em Êxodo cap. 21 ver.22 e 23: “Se alguns homens pelejarem e ferirem uma mulher grávida, e forem causa de que aborte, porém se não houver morte, certamente será multado... Mas se houver morte, então darás vida por vida”. Nada muito conclusivo, fala apenas de possíveis acidentes, com base em outras passagens bíblicas só podemos concluir que para os crentes na bíblia o aborto é o assassinato de uma vida, da criação divina.

E ai eu fico pensando, o que para nós é um aborto para a galinha é um omelete, se usarmos o próprio argumento de alguns desses defensores da “vida” podemos dizer que toda mulher é uma assassina porque o óvulo já fecundado leva de 06 a 07 dias para entrar no processo que chamamos de gravidez, 80% das mulheres despeja essas “vidas/crianças” no absorvente, todos os meses.

Ainda falando na maior praga social já existente, a religião. Uma pesquisa recente mostrou que em 09 países ricos ela vai ser extinta, ou seja, não vai haver religião. Na holanda por exemplo 70% das pessoas dizem não ter religião. No contra ponto temos os países pobres, que quanto mais pobre mais temente e religioso é. Isso nos evidencia que a necessidade é que faz a fé e o tamanho do milagre, mais a fundo ainda, podemos dizer que não existe um Deus e sim o poder da fé, que “move montanhas”.

É uma questão complexa, porque mexe com os valores pessoais e sociais. Valores não mudam do dia para a noite, mas a reflexão é sempre válida. Com o tempo vamos evoluir a tal ponto que o abordo não será proibido em nenhum lugar no mundo.

Nenhum comentário: