Páginas

Marcadores

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Reflexão Intrínseca


A percepção de si mesmo é uma visão difícil de se ter. Perceptível apenas por nós mesmos, ela pode até ser mencionada por terceiros, mas não será crível a você. É um processo duradouro construído ao longo do tempo e que se transforma -ou não- a depender das vicissitudes da vida. O espelho é "maléfico", nos mostra o que mais queremos esconder. Há sempre os descabidos; se enganam, camuflam seus espinhos e mostram apenas as flores. Esses são os mais perigosos. Ao mesmo tempo, nesta relação de amor e ódio, buscamos pelo espelho e dele nos deliciamos com a possibilidade de nos enganar. Olhamo-nos delicadamente, às vezes, rápido, sem foco, por fragmentos de vidros quebrados. E perdemos um tempão refletindo sobre nossos defeitos, sem ressaltar as qualidades. Lembramos do que é ruim e nos esquecemos do que é bom. O espelho é bom, o que ele nos mostra. Reflete muito além de uma imagem. Não percamos mais tempo com o que passou, olhemos para o espelho não com objetivos fúteis. Se assim fizermos, iremos nos perceber como ser, como essência ou conceito metafísico. Areia e água. A percepção de si mesmo depende de outros, ela pode e mudará ao longo de sua evolução. Nada é imutável.

Nenhum comentário: