Páginas

Marcadores

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Amor Oculto

Apaixonar-se,
nada mais natural; mas a escolhida é quase do mal.
Sou assolado pela juventude,
desejo ardentemente a experiência,
a vivência dos adultos.
É o mínimo que posso oferecer; e é pouco!
Estou inerte de amor.
Amor de décadas; da infância.
Do tipo tão pueril que nem fantasias fazem sentido.
Amor verdadeiro.
Não consigo me declarar,
porque no fundo,
sei que não a mereço.
Amor em silêncio, e por isso eu sofro de amor.
Um diagnóstico sério;
não há cura, se não vive-lo.
Quero possuí-la; um pedaço inteiro.
Nem consigo imaginar.
Por ela eu teria até filhos; sem titubear.
Por ela, eu renunciaria minha poligamia.
Faria jus aos meus votos...
Ela não sabe e talvez nunca saberá,
mas por ela eu morreria.
Mal consigo falar.

Nenhum comentário: