Páginas

Marcadores

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Anjo

Que houve contigo;
Negligenciaste um amigo.
Perderam, e tu foste o culpado.
O que tu estavas a fazer,
tua missão foste proteger.
Não o fizeste, e deixaste dor pelo caminho.
Não há perdão.
Não estenda a mão.
Ainda assim, trabalhaste por mim.
A que preço;
Que tens a ganhar.
Hão de acreditar; altruísmo.
Fui ingrato, indigno.
Anjo, que tens pra mim.
Sinto que não me é mais
De direito, mas gozarei do apreço.
Se existe mesmo,
Venha até mim e faça comigo
Aquilo que deseja a um inimigo.
Anjo, anjo... Não me deixe só.

Nenhum comentário: