Páginas

Marcadores

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Opressão

No fim, serei eu mesmo.
Sem medos!
Olharei para outrora com desprezo.
Posicionarei-me!
Direi coisas sem sentido.
Gritarei o mais alto que puder.
Incomodarei outros sem me importar.
Serei egoísta sem pensar.
Terei o brilho da dignidade.
Sou um cara sem maldade.
Você me odiaria.
Você não me aceitaria.
Por ser quem sou...
E dói pensar que o amor não é suficiente.
Frustra perceber que somos diferentes.
Não por rejeição, mas pelo coração.
Sou desprezível.
Tenho fugido...
Todos nós temos o direito de nos divertir;
Sermos quem somos
Sem nos restringir.
Que o julgamento alheio não nos corte.
Superemos a morte;
De princípios.
Sejamos mais que seres vivos
Aspirantes a dignos.
No fim, serei quem sempre fui...
Aquele que não apareceu por opressão.

Nenhum comentário: