Páginas

Marcadores

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Nada

Só sinto o nada me consumindo aos poucos.
Só queria que os meus problemas fossem reais.
Que minhas ilusões não fossem tão banais.
Que o banal não me envolvesse em nadas maiores ainda.
O mal estar na cultura, Freud...
O mal estar na alma.
A dor de estar vivo sem viver.
De ser sem existir.
De existir e simplesmente isso.
Por deixar que a vida passe.
Por não se esforçar mais para sorrir.
Consumo
os nadas e ao mesmo tempo
Deixo que eles me consumam e me deixem vazio.

Nenhum comentário: